fbpx
Telefone: (54) 3232-2779 Telefone: (54) 9 9191-8004
Endereço: Rua Pinheiro Machado, nº 719 - Sala 502 - Sarasvati - Vacaria/RS - 95200-000

Influenza - Gripe A (H1N1) Gripe H3N2 e Gripe Comum

O que é

Existem três tipos de vírus Influenza – A, B e C. Apenas os vírus A e B causam doença com impacto significativo na saúde humana, sendo os principais causadores das epidemias anuais. O Influenza A é essencialmente um vírus das aves que se adapta ocasionalmente aos humanos podendo causar pandemias (isto é, epidemias que se propagam ao mundo todo). Os vírus B e C infetam apenas humanos. O vírus influenza B é responsável por surtos localizados em pequenas comunidades (por exemplo, em escolas). O tipo C causa uma gripe ligeira e está, por isso, menos estudado.

A variabilidade das proteínas virais, Hemaglutinina (H) e Neuraminidase (N), no vírus da gripe A, está na base da sua classificação em diferentes subtipos (por exemplo, H5N1 ou H1N1). Atualmente conhecem-se 16 tipos diferentes de hemaglutinina (H1-H16) e 9 de neuraminidade (N1-N9). É a sua combinação que define o subtipo de vírus da gripe A.

Diferente de 2016, quando o vírus H1N1 foi o maior gerador de registros, o vírus H3N2 teve maior circulação em 2017, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Como ambas são perigosas, a entidade indica que a vacinação anual seja respeitada e que todos tentem antecipar-se ao inverno, vacinando-se ainda no outono.

 

Causas

A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐ contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Os vírus influenza podem circular durante todo o ano, mas a maioria dos surtos ocorre durante o outono e inverno.

Pessoas infectadas podem ser capazes de infectar outras pessoas um dia antes desenvolver sintomas e até 7 dias ou mais depois de ficar doente. Isso significa que a pessoa pode ser capaz de transmitir a gripe a alguém antes de saber que está doente.

 

Sintomas

Na gripe comum o indivíduo apresenta febre de início súbito, mesmo que referida, acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaleia, mialgia ou artralgia, prostração, coriza, na ausência de outro diagnóstico específico. Em crianças com menos de 2 anos de idade, considera-se também como caso de síndrome gripal: febre de início súbito (mesmo que referida) e sintomas respiratórios (tosse, coriza e obstrução nasal), na ausência de outro diagnóstico específico.

Na H1N1 os sintomas são semelhantes aos da gripe comum, mas com alguns detalhes específicos. Além da febre repentina e alta (acima de 38°C), dor de garganta, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações, coriza e falta de apetite, dependendo do caso, o paciente pode ter ainda diarreia e vômitos.

 

Tratamento

Ainda não existem medicamentos que tenham demonstrado total eficácia no combate aos vírus da gripe e do resfriado. Por isso, o tratamento é direcionado ao alívio dos sintomas da gripe. Os principais medicamentos sintomáticos utilizados são os analgésicos e antitérmicos, que aliviam a dor e a febre.

Existem alguns antivirais que são indicados para o tratamento de infecção pelo vírus influenza, principalmente em pessoas de risco para desenvolvimento de doença grave. Estes antivirais foram desenvolvidos na luta contra o vírus da gripe aviária, tornando a doença mais branda, diminuindo o risco de complicações e com evolução mais rápida.

 

Prevenção

Recomenda-se a praticamente todos os Grupos Vacinais, observadas as devidas restrições, o uso anual da vacina contra a gripe.

Entretanto, o ministério da saúde faz uma série de recomendações preventivas que contribuem a não proliferação do vírus influenza. Seguem algumas:

– Lavar sempre as mãos antes de consumir quaisquer alimentos, ou ainda, após tossir ou espirrar;

– Manter os ambientes sempre arejados e higienizados;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, quando ocorrer, fazer a devida higienização;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

– Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe.

Está em dúvida? Fale conosco

Seu nome:*

Seu e-mail:*

Seu telefone:

Serviço:

Sua mensagem: